Quarta-feira, 04 de Novembro de 2009

 

Escrevi este poema pouco tempo depois de me ter divorciado do Marco.

Mais palavras para quê, não é? Acho que o poema diz tudo...

 

 

Conheci-te e apaixonei-me

Parecias diferente e interessante

Amei-te tanto e entreguei-me

A nossa vida, pensei eu, seria marcante.

 

 

Afinal enganei-me...

 

 

Os problemas e as chatices

Logo, logo apareceram

Mas combinámos seguir em frente

Muitas frases me estremeceram.

 

Ainda namorávamos

E já tantas complicações?

Mas o meu amor por ti era tal

Que esqueci as situações.

 

Casámos.

E tu prometeste que irias mudar

Acreditei que conseguirias

Mas foi sempre a piorar.

 

Durante 3 anos sofri e calei

Senti e chorei.

 

Não havia motivos e desconfiaste

Não havia ninguém, mas nunca acreditaste.

 

Agora fica com o peso que na tua consciência jaz

Que eu fico sozinha, mas fico em paz.



publicado por thoughtsandpoems às 14:13

 

Símbolo da vida

Da amizade, da alegria

De uma alma serena

De uma óptima companhia.

 

Símbolo da calma

E também da tranquilidade

De um rosto lindo

Do qual sinto saudade.

 

Símbolo magnífico

Tamanha personalidade

Sentindo um grande carinho

Do qual tenho necessidade.

 

Símbolo do diálogo

Imensa conversação

Adoro as nossas conversas

A envolvência, o tocar de mão.

 

Símbolo da coerência

Do fluir coerentemente

De um enorme conforto

Quando te sinto proximamente.

 

Símbolo do à-vontade

Importante a boa educação

De uma tal confiança

E de um forte bater de coração.

 

Símbolo da segurança

Segura me fazes sentir

A tua companhia agradável

E, para mim, ver-te sorrir!

 

Símbolo do bom ambiente

Por ambos partilhado

Músicas em comum

Um tal som, eventualmente, esperado.

 

Símbolo da natureza

Anatomia bem desenhada

Olhos lindos, cor bela

Pela noite mistificada.

 

Símbolo de toda uma melodia

E do querer-te perto de mim

Ter-te em meus braços

Carinhos e coisas afim.

 

Símbolo da harmonia

Paixão... Espero reciprocidade

Com o pensamento em ti

Dizendo sempre a verdade.

 

Símbolo... és tu

É o querer construir

O querer ficares comigo

E não ter que te ver partir.

 

Símbolo... Amor

Algo que não se vê, mas se sente

Vamos ser felizes

Hoje, amanhã... Eternamente.



publicado por thoughtsandpoems às 13:48

 

Este poema foi escrito já há muitos anos (1996! - acreditam?!), mas encontrei-o e achei giro partilhar também :)

 

 

Toca as tuas mãos ... olha à tua volta

E sente o que te transmitem

Ouve a voz do teu coração

E o que os teus olhos insistem.

 

Existe uma grande intercomunicação

Sem que nisso dê para reparar

O nosso organismo é fantástico

Do qual nos devemos orgulhar!

 

Mas mais importante do que isso

É sim o que ele pode, naturalmente, esconder

Temos que mergulhar lá dentro

E nada deveríamos desperdiçar nem perder.

 

Tanta ambição e desgraça

E isso de nada vale a ninguém

Só é preciso saúde e paz

Para todos vivermos bem.

 

Não és mais rico por teres mais dinheiro

Mas sim por teres família, amigos e saudade

Tudo pertence e nada pertence à tua vida

Pondera bem os passos para a felicidade.

 

Dá tudo o que tens

Sem nada em troca teres que esperar

O que se dá com carinho e amor

É um gesto de se louvar!

 

Reconhece que é difícil

Mas tenta sempre teres compreendido

Nunca te exaltes nem enalteças demasiado

Pois serás um caso perdido...

 

O que se deve fazer é:

Nunca pensar no pior

E se algum dia te rebaixares

Diz sempre com humildade: "Eu sou o/a melhor!".

 



publicado por thoughtsandpoems às 13:47

 

Não depende de mim...
Depende das outras pessoas
E do impacto que têm em mim.
As palavras saem mais naturalmente
Se estou a escrever...
Parece que me escondo atrás de algo?
Não. Não creio.
Parece sim que as palavras
Soam e saltitam
Aparecem e explicam
Melhor o que quero dizer...
Quando estou a escrever...
E o que deveria ter sido pronunciado solenemente
Pela minha voz - as vezes rouca
Pela minha pessoa - simples e sincera
Ficou bloqueado pelos meus sentidos...
Algo ficou por dizer
Sem sequer eu saber...
Algo ficou por elogiar
Por vezes não conseguimos concretizar...
 
Mas de certeza que se tem talento
Para uma imensidão de coisas...
Como imenso é o mar e parece não ter fim...
Ou como o brilho das estrelas que quero dentro de mim...
Inexplicavelmente (ou não!)
Não queria que a lua fosse embora...
Não queria saber qual a hora...
Não ter que ir por essa estrada fora...
Qual caminho percorrido até então.
Será que tudo isso é em vão?
Ter que me despedir do pôr do sol, querendo ou não...
E os pássaros suas belas melodias sabem cantar
Caminhando nesta terra, poderemos nós voar?
Para o horizonte olho e uma flor recatada
Reflecte o teu riso e sorriso - Obrigada!
 
E por vezes faltam-me as palavras...
Sei que existe o significado
Mas não encontro o significante
E surge: ykeoiwhbwfqoigw
Um dia vou (vamos) saber
Qual o significado desta palavra
Um dia saberei explicar algo mais.
Um dia...
Talvez...
Quem sabe...
Saberei
Explicar
Algo mais...


publicado por thoughtsandpoems às 13:46

No campo, saudável

Na cidade barulhenta

Eu penso em ti

Na realidade que se apresenta.

 

Em casa, descanso

Na empresa, a trabalhar

Eu penso em ti

Sem eu sequer mandar.

 

Na rua, gelada

Na piscina, quente

Eu penso em ti

Sentindo-te presente.

 

No carro, sentada

De pé, caminhando

Eu penso em ti

E o tempo vai passando.

 

Na noite estrelada

No dia, soalheiro

Eu penso em ti

Sem olhar interesseiro.

 

No café, acompanhada

No sono, solitária

Eu penso em ti

Na ausência, estagiária.

 

No coração ou na alma

Com o teu nome presente

Eu penso em ti

Como estás na minha mente.

 

No sofá, confortável

Ou na cama, deitada

Eu penso em ti

Feliz por ser, por ti, amada.

 

Nos lugares, horizontes

Fica sempre descansado

Eu penso em ti

Fica feliz por seres, por mim, amado!



publicado por thoughtsandpoems às 13:45
Descobre aquilo que alimenta a tua curiosidade
Procura o que há de bom no teu interior
Desejo que encontres bem depressa
O que esconde o teu coração: amor.
 
Descobre o que não te vence na aventura
E que tu ganhas sempre facilmente
Desde que te empenhes a sério
A vitória corre para ti, certamente.
 
Não esqueça a tua memória
Que tens, por vezes, um visitante
Essa pessoa és tu
Que, se quiseres, será a mais importante.
 
Ajuda-a para ela retribuir
Não te ficará a dever nada
Vais vencer esta batalha, esta vida
Que estará sempre acordada.
 
Esquece todos esses dogmas
Desses preconceitos te vais libertar
Ficarás ainda mais rico
Se com um amigo fores desabafar.
 
Esse amigo és tu próprio
O teu espírito, o teu coração.
Ajuda-te a renová-lo
Com a alma na tua mão...                          


publicado por thoughtsandpoems às 13:43
Alcançar a Paz de Espírito.
Objectivo máximo a atingir,
Ou necessidade básica segundo várias teorias
Incluindo a Pirâmide de Maslow?
Alvo a acertar, ou o caminho no qual seguimos,
O qual traçamos, escolhemos e percorremos?
Precisaremos nós de uma bússola para a nossa própria orientação?
Quem somos nós, afinal, nesta infinidade cósmica?
Teremos nós que entender e aceitar o valor da nossa finitude…
… Da nossa paciência, por vezes, posta à prova?
Ou sabemos já como tudo se processa?
A beleza do sol da manhã (quer ele apareça ou não)
Reflectida no rosto sorridente da pessoa que amamos,
A saúde, por ambos, cuidada e mantida
A cumplicidade, a partilha, a amizade
O início dos diálogos sem fim e as risadas pelo meio,
O amor, a paixão, a ternura, o querer bem…
Todo um leque de qualidades …
E eis senão quando aparecem as imperfeições.
E todas elas nos querem dar lições.
Cabe-nos a nós tomarmos as nossas próprias decisões…
Eu já decidi e agradeço ao meu Amor. Pois…
Ser adulto consiste em fazer opções, enfrentar obstáculos e transformações.
Mas no final, é bom que digas: Valeu bem a pena!
Para que possas sorrir e continuar.
Para que te possas divertir e viajar.
A tua pessoa evoluir.
A Paz de Espírito  alcançar. 
Para que a vida te proporcione o construir e o amar.                                            


publicado por thoughtsandpoems às 13:41
Quero acreditar na pureza humana.
Um mito? Uma lenda? Uma utopia? Uma alegria?
Existem vários provérbios populares e um deles diz que
“A esperança é a última a morrer”.
E talvez haja aqui um fundo de verdade,
Senão o que seria de nós
Quando nos vemos perante a adversidade
Num túnel sem luz, sem a mínima claridade?
É a esperança que nos move
É a saudade, que dói e corrói
Mas que salta moinhos e sobe montanhas!
É a força de um sorriso e de um olhar
É a ânsia de encontrarmos quem mais nos ama
E que tão bem nos compreende…
Um olá de uma criança que mal sabe falar
Mas a sua expressão é já tão bela e sincera
Tão natural e espontânea…
Quero continuar crente e não incrédula.
Quero olhar para trás e sentir que tudo valeu a pena…
Que tudo fez, faz e continuará a fazer sentido.
Olhar para uma flor com uma gota acabada de cair
 E ver o brilho dos olhos do meu Amor que está já aqui
Ao meu lado, a dar-me a mão, a sussurrar-me ao ouvido.
Cheirar a essência que brota da Natureza toda ela pura
E que, infelizmente, nós queremos tornar impura…
Mas eu quero acreditar que isto vai mudar
E que a inteligência humana existe para o bem. 
Não me vou embora. Vou esperar para ver.                                                              


publicado por thoughtsandpoems às 13:39
Voltei…
Mas afinal, já não te encontrei.
Tive que ir embora
Mas no meio de algumas ideias e pensamentos
Não sei porquê, mas… apeteceu-me voltar.
E foi quando eu vi que também tu tiveste que te ausentar.
Pensei ainda ir a tempo
Deixar-me levar pelo vento
Olhar, viver, apreciar o momento
Tal foi possível, num certo dia, graças a ti.
E queria novamente ver
Que tipo de atitude irias ter
Mas … não deveria já saber?!
Obrigada pela atitude
E não houve senão virtude
Na brevidade do momento
Mas, como já disse num outro poema meu,
É essa a sua morada, um simples gesto ou toque
Que veio como que por magia
Alegrar a nossa tarde, o nosso dia
E muito mais para dizer eu teria…
Se não fosse este meu bloquear de sentidos
Que me transporta para aquele cenário, enternecidos…


publicado por thoughtsandpoems às 13:36

 

Question, I want to ask you a question:

Where have you been all this time?

Where has the answer been all these years?

What have you both done for so long?

Life is fair… Life is unfair…

Life is what you want to call it.

Some people feel fine and so they call it happiness.

Some people feel depressed and so they call it overwhelming.

Some people feel lost and so they call it dark.

What is actually black in this kind of thoughts?

Humankind has developed great things:

Huge, marvelous, unpredictable, awesome feats.

Why is war still present in our days?

I thought we had already achieved “that” point! Intelligence.

But after all, it seems like we are between the devil and the deep sea…

And… by the way: What does the word evil mean?

What is such a bad approach doing here,

When we should be celebrating life?

Can you hear, see, talk, smell and touch?

You are really lucky! Did you know that?

Growing up with food, water, clothes, music?

You have more than the majority in the world.

TV, books, school, teachers, toys?

Oh boy! What a fortune!

Power, jewels, money… do you know these words?

Yes? It means you can read and probably speak.

If so… you should consider yourself a Nature privileged.

Is this an attempt to explain the universe?

No, I’m not a Physician.

Am I electing myself to be the new … someone?

No, because I’m a very simple person.

Is this an attitude to figure out what is going on with the world?

No, I’m not a sociologist nor a psychologist.

I want you to feel the energy,

I would love to see you all smiling!

Yes, a smile. Got the picture?

It is so beautiful to see someone smiling, isn´t it?

It is for free and it is priceless!

Never forget that; so… smile.

Come up with new ideas!

Think out of the box!

Don’t let me down…

There are already too many people on Earth doing that:

Disappointing others, being bad, and I don’t know what else…

Oh… What am I doing?

What I’m trying to explain is…

Hum… May be I’m not trying to explain anything…

I have been trying to understand people’s ingratitude and complaints…

But I think… I can’t.

 

 



publicado por thoughtsandpoems às 13:34
Oásis… fresco… quente… perfumado
Estás longe ou estás perto?
Não vês estou sedento… aguado?
Chuva que não cais, nem no deserto
Estarás tu a tentar algum tipo de incerto?
Sol, que não brilhas…
Onde te escondes? Para onde vais?
Não saberás já tu onde é o meu cais?
E fico assim meia perdida
Saberá o destino onde é o Paraíso?
Olho à minha volta e não encontro
Não vejo o canto nem a melodia do silêncio
Por vezes (tantas vezes!) condutor.
Muitos sabem já que se eu fosse um animal
Seria… um Golfinho.
Porque os Golfinhos são inteligentes, amáveis e meigos
Sem pedirem nada em troca.
Talvez – amizade!
Ou apenas um olhar, um sorriso. Nada mais.
É pena não haver pessoas-golfinhos.
Hum… Olho a minha volta e encontro uma…
Talvez duas… eventualmente três, afinal.
São raras e difíceis de encontrar
Mas tudo têm para a mão te quererem dar
Gostam de te ver bem e de te ajudar
Querem que encontres o teu passo, o teu caminhar
Levam-te boa disposição e um inesquecível olhar.
Pega na tua bagagem de experiências
E faz-te à estrada… it’s your track!
Depende de mim… Depende de ti.
Eu, tu, nós… fazemos a diferença.
Começa no nosso próprio pensamento,
Com a nossa atitude e iniciativa
Tal como acontece com os Golfinhos.
Pega na tua espada, que é a tua inteligência
E…. Usa-a adequadamente, claro!
Para calares os gritos que não queres ouvir
Para acabares com as injustiças que vês a tua volta
Para veres mais transparência e Ciência
Para podermos ter mais lírica, música e poesia
Para transformares má disposição em sorrisos
E estabeleceres a paz onde ela é mais precisa
Ou seja, em todo o lado, em cada cantinho do mundo.
Porque se é inocente até prova em contrário
E a morada da brevidade não é mais senão…
O mágico toque de um momento, inesperado.
Inclinado para o Sol – qual estação mais longa…
Prescindir de uma coisa de que não se precisa
Não é dar nem sentir o verdadeiro valor
Ao que se quer dar e a quem o queremos dirigir.
E por isso, digo que os golfinhos
Têm uma naturalidade simpática
E uma simpatia natural.
Ainda bem k há pessoas assim,
E o adjectivo para elas: Especial.         


publicado por thoughtsandpoems às 12:55
Não foi por acaso
Parece até incrível que tenha sido
 Gritar. O quê? Para quem? Para quê?
Pois quem deveria ouvir, outro caminho teria escolhido.
Reflectir… Ponderar e meditar.
Com o caderno e a caneta ao lado
Como não sei o que escrever
Tento manter um olho acordado.
O outro está já a dormir
Já cansado de tanto esperar
Não me ocorre nenhuma palavra
Para escrever e mais tarde recordar.
Estou já sem forças
Não consigo sequer olhar
Quero seguir tudo o que é belo
Caminhos escuros devemos evitar.
Perdidos neste mundo louco…
Não sentem a incerteza profunda?
Coisas (in) experienciadas, perguntas sem respostas
E forças para levantar uma vez segunda?
Cair novamente
É força para depois erguer
Levantados e firmes
De nada nos vamos esconder.


publicado por thoughtsandpoems às 12:49
Epifania
Define-se por ser uma súbita sensação de realização ou compreensão da essência ou do significado de algo. Algumas pessoas associam logo essa palavra ao cariz religioso e/ou espiritual. Outras acham que se devem ficar pelo nível literário. Há várias abordagens à volta deste conceito: a Epifania do Senhor em que Jesus Cristo assume a condição humana; quando o filho de Deus se dá a conhecer ao mundo. No sentido literário, a "epifania" é um momento privilegiado de revelação, quando acontece um evento ou incidente que "ilumina" a vida da personagem. Epifania pode também significar manifestação ou aparição divina. Ou é apenas uma peça-chave quando temos uma questão há já algum tempo e, de repente, surge a resposta. Quando menos se espera… surge a revelação de algo. E ainda bem! Normalmente.
Surge de mansinho? Não propriamente. Costuma ser de súbito. E proporciona-nos uma compreensão profunda da verdade. Todos nós podemos ter uma epifania. Muitos de nós já experimentámos momentos epifânicos.
Estava eu num dia normal desta nossa vida mais ou menos (i)lógica, com um tempo mais ou menos (a)normal, com as mesmas pessoas mais ou menos (ir) racionais à volta numa cidade mais ou menos (a)típica. Eu olho para uma perspectiva… E eis senão quando… Eureka! Cá está! Ah! Afinal… Descobri algo mais. Revelou-se-me e manifestou-se-me algo mais. Descobri.
E eu agradeço a Deus o facto de me ter dado este momento.
Um flash, uma luz, uma sombra. Uma sensação, um arrepio. Algo.
E eu vi. Senti. Eu estava lá. Eu soube. Era eu, na primeira pessoa. Eu sei.
Epifania, obrigada!
Foi uma alegria!


publicado por thoughtsandpoems às 12:45

 

Enquanto a música soa notas
E a sua letra estou a cantar
Tu estás junto a mim
Entoas uma canção de embalar.
 
Enquanto as imagens televisivas
Mostram o que não quero ver
Tu estás aqui comigo
És real, és quem posso descrever.
 
Enquanto as gotas de chuva
Caem das nuvens lá nas alturas
Tu fazes-me companhia
Só tu, minha mão seguras.
 
Enquanto o admirador exclama
E se questiona o curioso
De ti, recebo ternura
És, sem dúvida, carinhoso.
 
Enquanto o lápis escreve
E a borracha apaga
Quero construir algo
Que mais ninguém estraga.
 
Enquanto se folheia um livro
E um cantor já actuou
Tu és para mim artista
Que numa palavra se soltou.
 
Enquanto um escritor se ocupa com o seu livro
E com as definições de um dicionário
Quero que saibas da minha pessoa
Que jamais serás só temporário.
 
Enquanto penso em ti
Quer seja uma vez, quer sejam duas
Quando não estou contigo
Tenho imensas saudades tuas!


publicado por thoughtsandpoems às 12:42
Ser… Estar…
Sou. Fui. Serei.
Estou. Estive. Estarei.
Sendo quem sou
Com ou sem consciência,
Pretendo ser…
Pretendo libertar-me.
Libertar-me de mim
Libertar-me daquilo a que estou presa.
Sem saber, por vezes, que assim estou.
 
Quero voar.
Deixem-me voar.
 
Ponderando objectivos
Tomando decisões
Decidindo rumos
Rumando caminhos
Soltando-me de perseguições.
 
Descobrindo mais sobre quem somos
Conhecendo novos seres e estares
Ultrapassando limites…

 



publicado por thoughtsandpoems às 12:39
 
Quando uma pessoa está a ler
Nunca parece um vagabundo
Porque há algo para aprender
Num conhecimento profundo.
 
Pode ser de manhã, à tarde ou à noite
A qualquer hora do dia
Para ler e aprender
Um livro é uma boa companhia.
 
Podemos rir com a comédia
E chorar com o dramático
Mas perante a literatura
Ninguém deve ficar estático.
 
Livros grandes ou pequenos
Pode haver um mar sem fim
O livro é um amigo
Que quero sempre ao pé de mim.
 
Um livro nunca deve ser abandonado
Nem cair no esquecimento
Estamos a ler, estamos a cultivar
E a passar um bom momento.
 
Letras grandes, pequenas, médias
Com efeitos e enfeites: que colorido!
Ler em casa, no trabalho, na escola
O importante é termos aprendido.
 
Olharmos para as palavras
Rir… ler… folhear…
A nossa cultura enriquecer
A nossa sabedoria aumentar.
 
Sentado, de pé ou deitado
O importante é ler
Na Natureza verde e bonita
Que, como um livro, é para cuidar e manter.
 
Comprado, oferecido, emprestado
Livros, revistas, jornais
Mas têm que ser de qualidade
E vós, o que achais?
 
Com este texto mais ou menos poético
Eu vos quero dizer
Não é tarde nem é cedo
Para começarmos a ler.

 



publicado por thoughtsandpoems às 12:37

 

O que é? O que será?
O que quer de mim?
Porque me procurará?
 
É um sentimento
E chamam-lhe amor
Quer que eu o siga
Para te encontrar.
 
Quem sou? Porque sou?
Onde estou?
Porque fui e onde estive?
Se eu for ao teu encontro
Estarás lá?
 
A fugacidade confirma.
 
As células que compõem o nosso corpo
Que é magnífico, que nós deveríamos apreciar
Dizem-me que está tudo bem e que…
…Sim. Procuro.
Devo procurar.
E se eu continuar
Hei-de encontrar.
Sim, procurei.                                                                                                                
Nesse momento embarquei.                                                                          
Mas vou continuar a perguntar.


publicado por thoughtsandpoems às 12:29
Vai ser uma noite diferente
Esta noite de luar
Vou ouvir o barulho do silêncio
O meu sonho vou cantar.
 
Que ambiente tão bom
Vou sair de casa e passear
Acendo a luz da lua
Para a tranquilidade procurar.
 
Como achei que estava escuro
Desenhei no céu estrelas brilhantes
Mas se elas estavam ao pé de mim
Como as vejo agora tão distantes?
 
Estou com os olhos bem abertos
É bom dormir assim
Falo e grito de boca fechada
E não te rias de mim…
 
Não sigas essa pegada
Não vês, está imunda
Segue antes a minha mão
Dou-te uma oportunidade segunda.
 
Ouve a voz da consciência
Não sigas o desejo carnal
Pondera as tuas decisões
Segue antes o desejo espiritual.
 
Estás tão perto de mim
Que sinto uma imensa saudade
Partiste para tão longe
Que me atrevo a desafiar a verdade.
 
Onde está na minha tranquilidade?
Foi a ti que vim procurar
Mas perdi-me em viagens
Importantes, diferentes, a recordar.


publicado por thoughtsandpoems às 12:26
Alma…
Alma escondida…
De que foges? Que procuras tu?
Não te podes refugiar nos teus medos
E sonhos sombrios porque,
Desse modo, estás a ficar
Ainda mais, na sombra de ti própria.
A sombra vai aumentar
E tu nem vais dar conta da sua possessão em ti
Do seu poder sobre ti. Do silêncio sepulcral…
Vais achar que são os outros que estão mal…
Vais transpor para o outro lado
O que há de insuportável em ti
E por isso culpas sempre os outros,
Mas… de facto, és tu mesma…
Não podes odiar as outras pessoas
Se ainda não conheceste ou reconheceste
O conteúdo de ti própria,
Da tua própria sombra.
Não podes, portanto, considerar-te inocente
E atirares pedras ao telhado do vizinho
Quando tu própria tens telhados de vidro.
Sê consciente, tem racionalidade suficiente,
Ouve a razão!
Sapere aude!
Ousa saber!
Ousa saber e conhecer a tua pessoa
Para que possas olhar para ti
Veres-te a ti própria
Reconhecer-te a ti mesma
Como ser maravilhoso que, afinal, és!
Transforma essa fuga numa caminhada
Numa caminhada com luz e alegria
Porque só se tem este caminho
Porque só se tem esta vida uma vez
Ela é única
 E é porque Ele existe
Que existes tu.
E é porque Ele quer
Que tu tens.
E é porque Ele está
Que tu andas.
E é porque Ele existe
Que tu és.
Alma…
Alma de alguém
Alma de uma pessoa
Alma encontrada.
 


publicado por thoughtsandpoems às 12:24

 

Todos querem ir mais longe.
Não deveríamos ir tão longe assim, penso eu.
Há vários motivos aos quais me prendo
Dos quais pareço depender
Dos quais parece que não me consigo libertar.
Mas, afinal, porquê? - Who owns who?
The things I have
The things I have done
What are we afraid of?
Keine Ahnung!
Afinal somos nós que controlamos a sociedade
Ou é a sociedade que nos controla a nós?
E porque é que não somos livres?
Porque é não fazemos aquilo que realmente queremos?
Afinal temos medo de quê?
Da nossa segunda personalidade?
Ou não será a nossa segunda personalidade
 (Talvez) o nosso verdadeiro “eu” e
É ela que tem medo do que assumimos ser
A maior parte do tempo?
Porque é que temos que ser o que aparentamos ser
E não somos, de facto, aquilo que, verdadeiramente, somos?
O que é que nos proíbe de assumirmos o nosso verdadeiro “eu”?
Quem é que controla quem, afinal?
Porque é que só somos livres no pensamento?
Porque é que não podemos fazer aquilo que nos vai no pensamento?
A nossa primeira identidade… os outros… a lei…
A religião… a patetice… os 5 minutos de estupidez…
O medo… a vergonha… a sociedade… os outros… o que os outros dizem…
Todo um sem fim de coisas… impede-nos de fazer isso.
Mas se todos fizéssemos isso e tomássemos uma atitude,
 Não haveria já quem criticasse!
O que é que nos diferencia dos outros?
Que importa 2 cm a mais ou a menos?
Que importa se custou mais ou menos 2 Euros?
Que importa 1kg a menos ou 2 kg a mais?
Não passamos a vida a dizer que isso não tem importância?
Então porque é que nos deixamos escravizar exactamente por isso?!
Qual o motivo? Qual a razão? Para quê?
É por isso que não vivemos a nossa vida em plenitude, não é?
Digam lá a verdade… Para quê tanta hipocrisia?
Onde está de facto, a verdade? Onde??
Porque não somos honestos, leais, fiéis, sinceros?
Porque não somos honestos, leais, fiéis, sinceros com nós próprios?
Não dizemos que as pessoas são importantes para nós,
Principalmente a família e os amigos?
Porque os colocamos então em segundo lugar,
Assim que temos oportunidade para isso?
Porque é que magoamos as pessoas que amamos?
Porque é que nos tornamos escravos das coisas que possuímos,
Se, afinal, dizemos, que as pessoas são mais importantes que as coisas?
Porquê e para quê a discriminação e o racismo, o preconceito e o cinismo?
Porquê e para quê a ganância, o poder, a inveja, o show off?
No fundo, e se pensarmos bem, somos todos iguais!
Temos todos uma cara fofinha quando nascemos,
Temos uma infância de brincadeiras e aventuras,
Temos a curiosidade normal da adolescência,
E já somos adultos e formados depois.
O nosso corpo, anatomicamente (e falando no geral), é o mesmo
E que funciona da mesma maneira – igual.
O céu azul (ou em certos dias, mais cinzento!) é igual para todos.
O Sol, bem lá no alto olhando para nós, é igual para todos.
O mar profundo, contendo uma imensidão de vida, é igual para todos.
A Natureza-mãe, que tanto nos dá e a quem tanto tiramos, é igual para todos.
De que nos escondemos, então?
De que fugimos, afinal?
De que temos medo, Deus meu?
Como encontrar respostas para todas estas questões?
Certas minhocas estereótipas que se infiltram
Na nossa mente por causa… não sei bem de quê…
Levam-nos a ficar presos a nós mesmos…
A nossa segunda identidade (como saber se é esta a verdadeira ou a primeira?!)
Fica sem saber o porquê e qual o motivo de não se poder libertar
Porque afinal talvez nunca venha a conhecer as respostas a todas estas perguntas.
E eu fico realmente sem saber porque razão não faço aquilo que realmente quero…
E eu fico realmente sem saber o motivo de as pessoas se comportarem assim…
E eu fico realmente sem saber de onde vem / veio tanta estupidez humana…
E eu fico realmente sem saber qual a minha verdadeira identidade…
E eu fico realmente sem saber como justificar certos actos ou não-actos da Humanidade…
E eu fico realmente sem saber…


publicado por thoughtsandpoems às 12:20
mais sobre mim
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


arquivos
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO