Quarta-feira, 14 de Abril de 2010

 

Poema basedo num desafio do Artista Plástico Nuno Blochberger - www.nunoricardo.eu

 

 

 

Cerram-se os nossos olhos só se não quisermos ver

Reencontrando a força que brota de nós

Interrompendo o papel da frustação -  isso é viver

Sendo primordial LUTAR em grupo ou até mesmo sós

Encontrando o que realmente importa: mudar e saber.

 

Findaram as formas de se queixar

Sabemos que ninguém vai indemnizar

As peripécias pelas quais o caos nos passou

E que bem real e não abstrato nos ficou.

 

Não nos é curta a memória

E a falta de tudo fica na história:

Não conseguimos comprar os bens materiais

Porque nos levaram o emprego e as respostas espirituais.

 

Assoma-se uma placidez desejada

Depois da tempestade vivenciada

Enobrece-se ou pesa o caminho que temos que trilhar

Sem saber o que dizer, 2010: por onde iremos passar?

 

Os foguetes do alvorecer simbolizam a mudança

E o mundo pede já que pode começar a Biodança

Esses gestos magistrais para ninguém se esquecer

Que as janelas do horizonte mostam, finalmente, a luz que queremos ver…

 



publicado por thoughtsandpoems às 11:13
mais sobre mim
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30


arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO