Quarta-feira, 04 de Novembro de 2009
Alma…
Alma escondida…
De que foges? Que procuras tu?
Não te podes refugiar nos teus medos
E sonhos sombrios porque,
Desse modo, estás a ficar
Ainda mais, na sombra de ti própria.
A sombra vai aumentar
E tu nem vais dar conta da sua possessão em ti
Do seu poder sobre ti. Do silêncio sepulcral…
Vais achar que são os outros que estão mal…
Vais transpor para o outro lado
O que há de insuportável em ti
E por isso culpas sempre os outros,
Mas… de facto, és tu mesma…
Não podes odiar as outras pessoas
Se ainda não conheceste ou reconheceste
O conteúdo de ti própria,
Da tua própria sombra.
Não podes, portanto, considerar-te inocente
E atirares pedras ao telhado do vizinho
Quando tu própria tens telhados de vidro.
Sê consciente, tem racionalidade suficiente,
Ouve a razão!
Sapere aude!
Ousa saber!
Ousa saber e conhecer a tua pessoa
Para que possas olhar para ti
Veres-te a ti própria
Reconhecer-te a ti mesma
Como ser maravilhoso que, afinal, és!
Transforma essa fuga numa caminhada
Numa caminhada com luz e alegria
Porque só se tem este caminho
Porque só se tem esta vida uma vez
Ela é única
 E é porque Ele existe
Que existes tu.
E é porque Ele quer
Que tu tens.
E é porque Ele está
Que tu andas.
E é porque Ele existe
Que tu és.
Alma…
Alma de alguém
Alma de uma pessoa
Alma encontrada.
 


publicado por thoughtsandpoems às 12:24
mais sobre mim
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO