Quarta-feira, 04 de Novembro de 2009

 

Todos querem ir mais longe.
Não deveríamos ir tão longe assim, penso eu.
Há vários motivos aos quais me prendo
Dos quais pareço depender
Dos quais parece que não me consigo libertar.
Mas, afinal, porquê? - Who owns who?
The things I have
The things I have done
What are we afraid of?
Keine Ahnung!
Afinal somos nós que controlamos a sociedade
Ou é a sociedade que nos controla a nós?
E porque é que não somos livres?
Porque é não fazemos aquilo que realmente queremos?
Afinal temos medo de quê?
Da nossa segunda personalidade?
Ou não será a nossa segunda personalidade
 (Talvez) o nosso verdadeiro “eu” e
É ela que tem medo do que assumimos ser
A maior parte do tempo?
Porque é que temos que ser o que aparentamos ser
E não somos, de facto, aquilo que, verdadeiramente, somos?
O que é que nos proíbe de assumirmos o nosso verdadeiro “eu”?
Quem é que controla quem, afinal?
Porque é que só somos livres no pensamento?
Porque é que não podemos fazer aquilo que nos vai no pensamento?
A nossa primeira identidade… os outros… a lei…
A religião… a patetice… os 5 minutos de estupidez…
O medo… a vergonha… a sociedade… os outros… o que os outros dizem…
Todo um sem fim de coisas… impede-nos de fazer isso.
Mas se todos fizéssemos isso e tomássemos uma atitude,
 Não haveria já quem criticasse!
O que é que nos diferencia dos outros?
Que importa 2 cm a mais ou a menos?
Que importa se custou mais ou menos 2 Euros?
Que importa 1kg a menos ou 2 kg a mais?
Não passamos a vida a dizer que isso não tem importância?
Então porque é que nos deixamos escravizar exactamente por isso?!
Qual o motivo? Qual a razão? Para quê?
É por isso que não vivemos a nossa vida em plenitude, não é?
Digam lá a verdade… Para quê tanta hipocrisia?
Onde está de facto, a verdade? Onde??
Porque não somos honestos, leais, fiéis, sinceros?
Porque não somos honestos, leais, fiéis, sinceros com nós próprios?
Não dizemos que as pessoas são importantes para nós,
Principalmente a família e os amigos?
Porque os colocamos então em segundo lugar,
Assim que temos oportunidade para isso?
Porque é que magoamos as pessoas que amamos?
Porque é que nos tornamos escravos das coisas que possuímos,
Se, afinal, dizemos, que as pessoas são mais importantes que as coisas?
Porquê e para quê a discriminação e o racismo, o preconceito e o cinismo?
Porquê e para quê a ganância, o poder, a inveja, o show off?
No fundo, e se pensarmos bem, somos todos iguais!
Temos todos uma cara fofinha quando nascemos,
Temos uma infância de brincadeiras e aventuras,
Temos a curiosidade normal da adolescência,
E já somos adultos e formados depois.
O nosso corpo, anatomicamente (e falando no geral), é o mesmo
E que funciona da mesma maneira – igual.
O céu azul (ou em certos dias, mais cinzento!) é igual para todos.
O Sol, bem lá no alto olhando para nós, é igual para todos.
O mar profundo, contendo uma imensidão de vida, é igual para todos.
A Natureza-mãe, que tanto nos dá e a quem tanto tiramos, é igual para todos.
De que nos escondemos, então?
De que fugimos, afinal?
De que temos medo, Deus meu?
Como encontrar respostas para todas estas questões?
Certas minhocas estereótipas que se infiltram
Na nossa mente por causa… não sei bem de quê…
Levam-nos a ficar presos a nós mesmos…
A nossa segunda identidade (como saber se é esta a verdadeira ou a primeira?!)
Fica sem saber o porquê e qual o motivo de não se poder libertar
Porque afinal talvez nunca venha a conhecer as respostas a todas estas perguntas.
E eu fico realmente sem saber porque razão não faço aquilo que realmente quero…
E eu fico realmente sem saber o motivo de as pessoas se comportarem assim…
E eu fico realmente sem saber de onde vem / veio tanta estupidez humana…
E eu fico realmente sem saber qual a minha verdadeira identidade…
E eu fico realmente sem saber como justificar certos actos ou não-actos da Humanidade…
E eu fico realmente sem saber…


publicado por thoughtsandpoems às 12:20
Oh Cris, gosto tanto dos seus poemas! São mesmo muita inspiração!
Espero que esteja tudo bem. Beijinhos.
Ludmilla Vamain a 22 de Março de 2011 às 18:39

Querida Ludmilla!! Muito Obrigada por todo o carinho e apoio!! Mas olha que eu também adorei o poema que me enviaste :) Continua e ... quero ler mais poemas teus!! Envia!! Sim, está tudo bem ;) E contigo? Beijinhooo!! Cris.

mais sobre mim
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO