Sábado, 06 de Novembro de 2010

 

Um poema dedicado a ti? Não, muitos! Nada ultrapassado.

Outro já não escrito no futuro repensando-o, regressado…

 

          Quisesse eu… fora eu… uma donzela fugidia

          E sei que virias essa noite durante o dia.

 

Cada passo dado como marco do Agora

Remontando não geograficamente essa hora.

 

          Percebi tanto… e os sinais!

          Agradeci muito… ainda mais!

 

Dei comigo a sorrir... yes, ao verificar:

Que o já resolvido em mim muito veio alterar…

 

         Humildemente me elevo porque faço por isso.

         Elevada! Tu contribuis: não altivo nem submisso.

 

Desprogramando o nosso Ego…

Se não, às vezes ficamos no Eu sou cego.

 

       Nós não. Sei-o. O patamar Superior veio.

 

                     É o despertar!

 

 Avista-se uma paisagem mais bonita. Pura. Brilhante. Segura. Incessante.

Não finda a sua veracidade. Tudo é genuíno na sua especificidade.

Bem o referiste e eu disse para mim “bem o apreciaste!”

Amarela e verde como ditou a sua Leitura da Aura.

Branco e preto no seu Yin Yang.

 

Da cor que tu quiseres no nosso arco-íris de momentos.

Sim, tu – oh Senhor (és) meu querer.

 



publicado por thoughtsandpoems às 01:22
... que lindas palavras sentimentais,
acabadas de ler das quais,
representam em minha opinião um futuro
chei de anergia positiva e amor puro.

Obrigado por este momento...
Beijo,
Alberto
Alberto a 7 de Novembro de 2010 às 16:47

Muito Obrigada pelas tuas palavras, Alberto :)
thoughtsandpoems a 11 de Novembro de 2010 às 12:35

mais sobre mim
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
27

28
29
30


arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO